Início » Reflexões » Viva la revolución. Newton disse: ação e revolução! E tudo acaba em salada. Mais uma, dentre muitas, opinião sobre os protestos em S. Paulo.

Viva la revolución. Newton disse: ação e revolução! E tudo acaba em salada. Mais uma, dentre muitas, opinião sobre os protestos em S. Paulo.

É, o povo não aguenta mais. E por isso, vamos protestar! Passeatas são legalizadas por leis e direitos trabalhistas. E vamos no meio da Paulista. Só que com a passeata, o trânsito, que já é um problema, fica pior ainda, e milhões de outros trabalhadores ficam impossibilitados de retornar para suas casas para um merecido descanso. No meio de quem quer protestar por uma justa causa, mas pára o trânsito, juntam-se pessoas que apelam para baixaria, quebra-quebra e vandalismo. Aí o governo numa reação tão superficial e impulsiva quanto, manda a polícia. Aí que a manifestação piora. Quem estava lá para defender os direitos do povo fica chocado. E os vândalos, ficam acesos para brigar e provocar a polícia.

Aí a polícia começa a usar e abusar de seu poder e usa da violência também, violência institucionalizada. Mas no meio disso, tem policial que também é um trabalhador, e justamente escolheu essa função por acreditar ser algo nobre e contra o que considera e aprendeu ser “crime”. Só que aí o policial começa a apenas obedecer tudo o que o governo manda fazer, apesar de também ser tão ferrado quanto o povo, e se além disso, for mais mente fechada, a autoridade que recebeu – sobre nada – sobe na sua cabeça.

Aí vai a mídia filmar tudo. Quem é contra a polícia, bota foto e divulga o lado opressor da polícia. Quem é contra os manifestantes, coloca foto do vandalismo, pessoas encapuzadas, acusando-as de criminosas.

Aí nos protestos junta toda a revolta de todos, que sofrem as consequências de um governo corrupto, com má qualidade de vida para muitos, e desigualdade para todos. Toda essa revolta aparece e junta tudo no protesto.

Enquanto isso, as pessoas continuam sem conseguir chegar em casa por causa do trânsito. E os governantes começam a pensar um pouco, só que em Paris – sim, Haddad e Alckmin estavam em Paris até ontem. Os caras de Brasília devem estar vendo tudo pela televisão. De tela plana. Mas o povo protesta pra eles ficarem com medo e fazerem alguma coisa e verem a força coletiva. A força do povo que protesta, mas pára o trânsito. E aí a polícia reage mais ainda. E envolta disso, muitas coisas quebradas e depredadas.

Aí chega quem não apoia nem um lado, nem outro, mas quer ir lá ver. Filmar. Se revoltar. Postar no face. Discutir na rua. Só que, por estar lá no meio, acaba se machucando, ou pelo lado exaltado da polícia, ou como consequência do lado exaltado dos manifestantes.

Então essa pessoa acusa o culpado por seu machucado, publica nas redes sociais, causando mais revolta, indignação e falação, contra um lado ou outro. É, daí os políticos param para pensar mais um pouco. Talvez decidam reduzir a passagem em 40 centavos, assim o povo sossega o facho. Mas em compensação, decidem aumentar alguma porcentagenzinha em seu salário. Quando voltarem de Paris.

Mas o povo protesta. Sái machucado. Pára o trânsito. Quebra a estação de metrô. De uma das avenidas mais bonitas e bem planejadas de São Paulo. Que, por causa de nossa desigualdade social, é povoada por alguns mendigos que nela se refugiam, sob a sombra dos belos prédios e transeuntes. Por causa dos protestos, os mendigos que dormiam embaixo do MASP precisaram mudar de lugar. Por causa das balas de borracha. Que podem acabar atingindo pessoas inocentes. Que estavam só para protestar por uma justa causa. Mas pararam o trânsito.

E algumas das pessoas que pegam esse mesmo transporte público que subiu de preço, sentem-se mais prejudicadas pelo trânsito do que pelo aumento. Algumas comentam nos pontos de ônibus que os culpados são estudantes que não tem o que fazer. E outros, alguns empresários, políticos, ou apenas milionários, terão que voltar para a casa de helicóptero hoje.

Mas o povo que luta tá lá tomando bala. E a polícia tá lá com sua função aprendida. Alguns policiais podem ter filhos esperando em casa. Alguns manifestantes podem estar com seus pais preocupados. Ou terem alguém que vai se importar caso se machucarem. Até chorar por eles se acontecer algo pior. E todo mundo tirando foto. E postando no face.

Não sei ainda o porquê do nome adotado pra os protestos, porém isso tudo me parece uma verdadeira salada.

Anúncios

O que acha sobre isso?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s